Publicidade

Publicidade

Publicidade

19 de Maio de 2017 Publicado por: Folha Noroeste Categoria: Regional

Munícipes do Jaraguá e região veem legalização do porte de armas como saída para violência

Após notícia de arrastões em pontos de ônibus, população defende uso de armas para proteção

Publicado às 10h40

Por Gabriel Cabral

A Folha Noroeste compartilhou na última quarta-feira, 17/5, notícia sobre os arrastões em pontos de ônibus que continuam a ocorrer na capital. Segundo a reportagem do Estadão, o foco dos assaltos ainda é o celular. Na maioria dos casos, os assaltos acontecem pela manhã, por volta das 6 horas, quando as vítimas estão a caminho do trabalho. Na página do Facebook TBJP-Taipas/Brasilândia/Jaraguá/Perus/Pirituba - ZN alguns munícipes veem a legalização do porte de armas como meio de defesa contra a criminalidade.

“Está na hora de liberar o porte de armas para todos, só assim para se sentirmos seguros”, disse Faby Santos. Daniel Zera também defende que os arrastões não aconteceriam caso o porte fosse legal. “Se a polícia não tem efetivo o suficiente para garantir a segurança, então o governo está corrompendo a lei, porque o cidadão tem o direito a defesa e se o governo não dá, nada mais justo que essa p**** de governo liberar de imediato o porte de arma”, afirmou Eliton Fachetti.

Hoje, uma pessoa física que deseja andar armada necessita de autorização da Polícia Federal. A autorização é aprovada após entrega de documentos e análise policial. Entre os documentos necessários, estão: RG e CPF; apresentação de documento comprobatório de ocupação lícita e de residência certa; declaração escrita da efetiva necessidade, expondo fatos e circunstâncias que justifiquem o pedido, principalmente no tocante ao exercício de atividade profissional de risco ou de ameaça à sua integridade física; comprovação de idoneidade, com a apresentação de certidões negativas de antecedentes criminais fornecidas pela Justiça Federal, Estadual (incluindo Juizados Especiais Criminais), Militar e Eleitoral e de não estar respondendo a inquérito policial ou a processo criminal, que poderão ser fornecidas por meios eletrônicos; ter mais de 25 anos, entre outros.

Para mais informações sobre como funciona o porte e a posse de armas no Brasil, clique aqui.

Leia também as reportagem da Veja SP “O porte de armas aumenta ou diminui a violência?” ou do Nexo Jornal “Como deve ser o controle do porte de armas no Brasil, segundo estes 2 especialistas”.