Publicidade

Publicidade

Publicidade

19 de Outubro de 2017 Publicado por: Folha Noroeste Categoria: Regional

Comunidade exige reabertura do Parque Orlando Villas Boas na Leopoldina

Reunião na Associação Comercial Distrital Oeste busca soluções para o local
Movimento pela reabertura do parque Villas Boas com lideranças na Lapa Foto: Cristina Braga

Publicado às 11h09

Por Cristina Braga

Nesta terça, dia, 18 a Associação Comercial Distrital Oeste na Lapa, na Lapa, sediou encontro entre representantes do poder público e da comunidade local  para discutir o futuro do Parque Orlando Villas Boas. Localizado na Vila Leopoldina, o parque está fechado desde o dia 9 de março de 2015. O pedido de fechamento foi feito pelo Ministério Público de São Paulo em 2012, e está com a juíza Celina Toyoshima da 4ª. Vara da Fazenda Pública do Foro Central. A medida de segurança foi tomada devido a suspeitas de contaminação do solo. A área, de 55 mil m², já funcionou uma unidade de tratamento de esgoto da Sabesp por 30 anos. Em área próxima, está o terreno que pertenceu a ex-usina de compostagem da Vila Leopoldina ( cerca de 1.000  metros quadrados e que pertence ao município).  

 União para retomada do parque

 No encontro, estiveram presentes o vereador Gilberto Natalini que criou o parque (LEI Nº 14.686) em 2008, prefeito regional da Lapa Carlos Fernandes, Carlos Prisco, diretor superintendente  da Distrital Oeste Carlos Prisco, gerente do Departamento Jurídico ambiental da Sabesp Fabiana Funaro e  Luis H. Cappelano também da Sabesp. 

Glaucia Prata do Movimento Popular da Vila Leopoldina defendeu abaixo-assinado em apoio a primeira fase do projeto original de reabertura do parque. Para Jairo Glickson do Conseg (Conselho de Segurança Comunitária) da Vila Leopoldina a área do parque “ é a esquina mais cara da América Latina e que “ interesses imobiliários estão imersos dentro de uma questão puramente mercadológica. “A maior força vem da comunidade e da mobilização popular via redes sociais  e a judicialização do contexto potencial  que gira em torno de R$ 700 milhões de reais”. 

Já o prefeito regional  da Lapa Carlos Fernandes  diz que a área designada para o parque é grande  e as gestões anteriores foram negligentes e nesse meio tempo tempo ocorreu o fechamento”, lembrou. O vereador Gilberto Natalini (PV) salientou que  é  preciso derrubar em primeiro lugar a liminar, daí  a força do abaixo-assinado  e retomar o parque realizando  esforços conjuntos do poder público  com a população.   

 Quando questionada pela plateia sobre a possibilidade da Sabesp - empresa mista, em leiloar a área, a representante da empresa Fabiana Funato enfatizou que a interesse da Sabesp é realizar permuta do terreno da Vila Leopoldina com área municipal localizada na Ponte Pequena, na região central da ciadade.

  Entendo o caso

 Há dois anos, a Cetesb  fez um estudo de passivo ambiental constatou a existência de contaminação em uma área próxima, que não faz parte do parque e está fechada ao público, segundo a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. A análise do laudo  na área dos 55 m²  onde se encontra o parque Orlando Villas Boas, apontou uma contaminação sem risco para a comunidade.