Publicidade

Publicidade

Publicidade

14 de Novembro de 2017 Publicado por: Folha Noroeste Categoria: Regional

Árvore cresce sem poda, atinge rede elétrica e causa prejuízos a prédio na Pompeia

Poda de árvores foi campeã de reclamações na Ouvidoria municipal da Prefeitura de São Paulo
Galhos afetam rede elétrica e interfones de condomínio queima. Foto: Reprodução/G1

Publicado às 10h30

Por Gabriel Cabral

A poda de árvores foi campeã no ranking de reclamações da Ouvidoria municipal da Prefeitura de São Paulo, sob gestão de João Doria (PSDB). A falta do serviço pode causar diversos transtornos à cidade, como queda de galhos e troncos em ruas e importantes avenidas dos bairros, como ocorre frequentemente no período de chuvas e temporais, e, também, caso os galhos alcancem os fios da rede elétrica, eles podem afetar questões de energia de casas e condomínios do entorno, como foi o caso de um prédio na Rua Raul Pompeia, onde quedas de energia no mês passado queimaram por duas vezes o interfone da torre. As raízes da árvore ainda racharam a calçada.

Apesar de pedirem ajuda à Prefeitura de São Paulo e Eletropaulo, nenhuma das duas pastas se manifestaram ou decidiram resolver o caso. A gestão municipal de Doria afirmou que os serviços estão agendados para o dia 3 de dezembro.

Em Pirituba, na região do São Domingos e Parque Maria Domitila, um semáforo na Avenida do Anastácio próximo ao AMA Maria Domitila tem sido escondido por galhos. O problema causa infrações, já que ali não há radar que capte o avanço no sinal vermelho ou alta velocidade, e assim, muitos condutores se sintam à vontade para cometer sérias imprudências. Assim, os motoristas, que já não enxergam a luz indicada no semáforo, ultrapassam a faixa mesmo quando lhes é proibido. A falta de visualização do semáforo e a passagem de veículos pelo semáforo vermelho podem causar graves acidentes entres os que vão pela Avenida do Anastácio sentido Avenida Mutinga e os que saem da Rua Willis Roberto Banks. Os pedestres também sofrem graves riscos de atropelamento enquanto atravessam a via. Leia a resposta da CET aqui.