COTIDIANO

Merenda das escolas estaduais pode ser terceirizada; gestão Doria propõe audiência para discutir a proposta

Publicado em 22/10, às 12h10

Por Priscila Perez

A alimentação nas escolas estaduais virou alvo de debate em todo o Estado. Isso porque o governo de São Paulo, sob a gestão de João Doria (PSDB), estuda terceirizar a merenda que é servida aos 3,5 milhões alunos da rede estadual. São mais de 5.500 escolas.

Merenda escolar. Foto: Sergio Andrade/A2 FOTOGRAFIA.

A empresa escolhida ficaria responsável pelos serviços de armazenamento, compra, distribuição, higienização e preparo dos alimentos, o que inclui a elaboração de novos cardápios. A proposta, que será discutida em audiência pública nesta terça-feira, prevê ainda a utilização de carteirinhas com QR code pelos alunos, por meio de um sistema totalmente digital.

Gestão da alimentação

Segundo a Secretaria da Educação de São Paulo, o contrato de terceirização terá validade de 30 meses, podendo ser prorrogado conforme a necessidade. Caberá à empresa contratada adquirir utensílios e equipamentos, adequar os espaços e fornecer mão de obra para a preparação das merendas (merendeiras) e limpeza das cozinhas (faxineiras). A gestão do serviço também prevê a instalação de câmeras de segurança tanto na cozinha quanto no local de entrega da merenda. A carteirinha com sistema digital é outro modo de garantir a prestação do serviço à garotada.

Para o governo, atualmente, um dos desafios é assegurar a qualidade das refeições servidas aos alunos da rede. A distribuição e o contrato com fornecedores são outros imbróglios a serem solucionados.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário