COTIDIANO

Vacina pentavalente está em falta nas UBSs da capital; Prefeitura aguarda novo lote para regularizar a situação

Publicado em 22/10, às 12h40

Por Priscila Perez

A Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital estão com poucas doses da vacina pentavalente, que protege a criançada contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e influenza B. Algumas unidades, inclusive, estão sem a vacina e já não atendem a população.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil.

Segundo a Secretaria Municipal da Saúde, a administração municipal aguarda a chegada de um novo lote para regularizar a situação na cidade, o qual precisa ser liberado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O governo federal, por sua vez, explica que a vacina não é produzida no país, sendo viabilizada pela Opas (Organização Pan-Americana da Saúde). Porém, como a última remessa foi reprovada em testes de qualidade, o Ministério da Saúde foi obrigado a buscar outro fornecedor.

Em outubro, metade das doses previstas para o país já foi distribuída – ou seja, 440 mil. Já a outra metade será enviada a partir de novembro. “Quando os estoques forem normalizados, o Sistema Único de Saúde fará busca ativa pelas crianças que completaram dois, quatro ou seis meses de idade, entre os meses de agosto e novembro, para vaciná-las”, esclarece a pasta.

Vacina pentavalente

Foto: Scyther5/istock

A vacina deve ser tomada aos dois, quatro e seis meses de idade. Crianças com um ano e três meses também devem receber um reforço.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário