EDUCAÇÃO

Racismo, Saúde Mental e Educação serão temas que a Biblioteca Brito debaterá em live

Publicado em 29/7/2020 às 15h17

Por Cristina Braga

Há cerca de 5 meses, o Brasil vê o avanço de uma doença que está matando milhares de pessoas: o novo Coronavírus. Mas existe uma outra doença, muitas vezes silenciosa, que continua matando milhares de pessoas todos os anos no Brasil há cerca de 500 anos: o Racismo. Por isso, a Biblioteca Brito Broca e a CECCOs São Domingos e Jaraguá irão transmitir nesta quinta, 30, às 14h, a live “Da Dor da Insanidade à Doçura da Identidade: Racismo, Saúde Mental e Educação”.

Será uma conversa enriquecedora e necessária com Oswaldo Faustino – ativista do Movimento Negro, jornalista, escritor e contador de histórias; Bitta Bardo – professora da Rede Municipal de Ensino de São Paulo, arte educadora brincante, pedagoga do sentir e da escuta e observante das infâncias; Kenya Ayo-Kianga Faustino – Fonoaudióloga e gerente do CECCO São Domingos e membro do GT de Saúde da População Negra da Supervisão de Saúde de Pirituba; Cecília de Oliveira – assistente social do CECCO Jaraguá e membro do GT de Saúde da População Negra da Supervisão de Saúde de Pirituba; mediação de Sandro Luiz Coelho – bibliotecário, contador de história, aprendiz da pedagogia Griô e coordenador da Biblioteca Brito Broca. O bate papo ocorrerá  pelo Face da Biblioteca Brito Broca.