REGIONAL

Comunidade indígena do Jaraguá fecha entrada de aldeias para evitar entrada de turistas

Publicado em 27/03, às 10h50

Por Priscila Perez

Para impedir a entrada de turistas e a disseminação do coronavírus entre seu povo, a comunidade indígena do Jaraguá adotou o isolamento como arma contra a doença. A solução encontrada pelos guaranis foi bloquear as entradas e saídas das seis aldeias instaladas no território jaraguense, onde vivem mais de 600 índios. “Fechamos nossa comunidade”, conclui Thiago Henrique Karai Djekupe, uma das lideranças locais.

Entrada da aldeia guarani, no Jaraguá. Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal.

Segundo ele, a situação é de grande risco para os guaranis: uma única pessoa contaminada poderia comprometer toda a comunidade. “Nós temos muitas pessoas de risco, como crianças com problemas respiratórios, pessoas com hipertensão, problemas crônicos, diabetes e temos bastante idosos”, relata.

Até o momento, não há caso de Covid-19 entre os guaranis, mas todo cuidado é pouco. Por isso, desde o início da crise em solo paulistano, eles optaram pelo isolamento social com a suspensão temporária de visitas e trabalhos com grupos indígenas. “Não estamos recebendo visitas de fora”, completa Sônia Ara Mirim Barbosa. Cartazes foram afixados nas entradas da comunidade para alertar os visitantes sobre o bloqueio.

Comunidade guarani. Foto: Reprodução/Elineudo Meira.

Para sobreviverem à pandemia, os índios também precisam de itens básicos para a higienização diária, como álcool em gel, sabonete e material de limpeza. As compras são feitas pelas lideranças locais, os únicos a saírem da comunidade.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário