REGIONAL

Está chegando a 1º FLINO – Festa Literária Noroeste

Publicado em 19/11/2020 às 9h36 

Por Cristina Braga

Bibliotecas, Centros Educacionais Unificados (CEUs), coletivos culturais e artistas independentes da região noroeste de São Paulo realizam entre os dias 2 e 5 de dezembro a 1ª FLINO – Festa Literária Noroeste. Devido à pandemia de Covid-19, a festa será completamente online por meio do canal do Youtube da FLINO e página no Facebook.

Dividida em 4 dias, a FLINO contará com mais de 40 atrações de artistas e agentes culturais dos bairros de Perus, Morro Doce, Parada de Taipas, Jaraguá e Pirituba. O objetivo da festa é fortalecer a cena cultural e literária dos bairros da região, assim como ampliar a articulação e parceria entre as bibliotecas, CEUs e comunidades do território. Outro objetivo ainda é reforçar a importância dos movimentos negro, indígena e de mulheres, com uma programação que reflete de maneira intersetorial aspectos do território noroeste.

Inspirados em festas literárias que acontecem em outros bairros periféricos, como a Fligraja (Festa Literária do Grajaú), Flipenha (Festa Literária da Penha) e a Felizs (Festa Literária da Zona Sul), os trabalhadores das bibliotecas da Secretaria Municipal de Cultura e dos CEUs se reuniram e iniciaram a articulação junto aos demais coletivos.
“Nós acreditamos no território noroeste e vemos com clareza a potência e a riqueza cultural da nossa região. Queremos fortalecer os equipamentos culturais da localidade e dar visibilidade aos artistas e coletivos, além de estreitar a relação dos equipamentos públicos com os agentes culturais”, conta Beth Pedrosa, coordenadora da Biblioteca Padre José de Anchieta, em Perus.

Para Sandro Coelho, coordenador da Biblioteca Brito Broca, em Pirituba, a FLINO vem para demonstrar a força do território noroeste, que já conta com diversos atores e coletivos ligados à literatura. “A gente sempre via as outras festas literárias acontecendo e pensávamos que um território que abarca tantos distritos, tantos coletivos de cultura e literatura também deveria ter uma festa literária. Para além disso, a literatura tem como função manter nossa sanidade mental, uma vez que nos transporta para lugares inimagináveis, incríveis, coisas que em épocas de pandemia a gente não consegue”, aponta.

Programação
Com uma programação multicultural, a festa terá transmissões ao vivo de saraus, contação de histórias, intervenções poéticas individuais, espetáculos de teatro, música e performances, além de mesas de debate sobre literatura, território e temas ligados às questões étnico-raciais, juventudes e memória. Haverá ainda uma feira virtual de livros e artesanato. (Programação completa abaixo).Na quarta-feira, dia 2/12, às 20h, acontece a abertura do evento, com a roda de conversa “Ferve Território”, que, além de marcar o início da festa, homenageia o educador e articulador cultural José Soró. Com mediação de Beth Pedrosa, da Biblioteca Padre José de Anchieta, a mesa contará também com a participação de Cleiton Ferreira (Comunidade Cultural Quilombaque), Valéria Pássaro (Casas Taiguara) e o educador Sérgio Francisco.
Territórios de Memórias
Na quinta-feira, 3/12, às 20h, acontece a roda de conversa “Territórios de Memórias”, que irá falar sobre a importância da literatura como guardiã das histórias e memórias das populações periféricas. Estarão nesta mesa Sheila Moreira (Centro de Memória Queixadas), Thaís Santos (Projeto Baobá – Comunidade Cultural Quilombaque) e Sandro Indaíz (Sarau Segunda Negra), com mediação de Julia Rolim, da Biblioteca Educador Paulo Freire – CEU Pêra Marmelo.
Quilombos, Tekoas e Periferias
Na sexta-feira, 4/12, às 20h, realizamos a roda de conversa “Quilombos, Tekoas e Periferias”, sobre como a literatura é uma ferramenta de denúncia e resistência para populações negras e indígenas. Essa mesa contará com a presença da educadora e poeta Guiniver Santos, Antony Karai Poty (Guardiões da Floresta), da Tekoa Pyau, no Jaraguá, e da dramaturga Maria Shu, do Jaraguá, com mediação de Almir Moreira, do Sarau d’Quilo – Comunidade Cultural Quilombaque.
Juventudes, Palavras e o Amanhã
No dia 5/12, sábado, às 20h, acontece a última roda de conversa da festa “Juventudes, Palavras e o Amanhã”, sobre a potência da produção literária jovem da região e suas identidades. O bate-papo contará com a presença de Wagner Souza (Sarau da Brasa), Wesley MP (Coletivo Afronte), o MC Tupi-Guarani Tupã Jekupéa, a musicista e poeta Ariany Marciano, do Morro Doce, com mediação de Sandro Coelho, da Biblioteca Brito Broca. O encerramento da FLINO será com o Sarau da Noroeste, composto pelo Sarau d’Quilo, Sarau da Brasa, Sarau Elo da Corrente, Sarau Segunda Negra e convidados. (Programação completa abaixo).
Sobre o homenageado José Soró
Nesta primeira edição, a FLINO homenageia o educador e articulador cultural José Soró. Falecido em 2019, aos 55 anos, Soró era comunicador popular desde os anos 1980, importante articulador da região e um dos gestores da Comunidade Cultural Quilombaque, em Perus. Sempre mirando o futuro e autossustentabilidade do povo preto e periférico, foi mentor e mestre de muitos coletivos locais. Acreditava na força da juventude, difundia a “sevirologia” (a arte de se virar) como prática e dizia que era preciso “ferver o território”, criando a hashtag #FerveTerritório em suas produções. Também colaborou na construção do Território de Interesse da Cultura e da Paisagem (TICP) Perus-Jaraguá, instrumento do Plano Diretor de São Paulo que reconhece a potência cultural e histórica da região. Ao lado de Valéria Pássaro, foi gestor do centro de acolhimento para jovens Casas Taiguara e, desde os anos 1990, lutava pela reapropriação do antigo prédio da Fábrica de Cimento de Perus, com o intuito de transformá-lo em um centro de cultura e memória e em uma universidade livre e colaborativa.

Sobre a FLINO
A FLINO começou a ser organizada ainda em 2019, por representantes de movimentos sociais e culturais locais, das bibliotecas Brito Broca (Pirituba), Érico Veríssimo (Parada de Taipas), Padre José de Anchieta (Perus), CEU Pêra Marmelo (Jaraguá), CEU Vila Atlântica (Pirituba), CEU Anhanguera (Morro Doce) e CEU Perus. A festa estava prevista para acontecer de maneira presencial em abril. Com a pandemia, a sua realização foi reorganizada para dezembro de modo virtual. O objetivo é realizar a festa anualmente para fortalecer a cena literária e cultural da região.

Programação completa

1º DIA | 2/12
20h – Mesa de abertura “Ferve Território”
21h30 – SLAM do Pico

2º DIA | 3/12
10h – “Memórias e Histórias” com Adriana e Radamés Rodrigues
11h30 – “Oficina de Processo Criativo” com Victhor Ruas Fabiano
13h- Performance “Aprendi a voar quando fui empurrado do precipício” com Coletivo Estação Paraíso
14h – Espetáculo teatral “Encontrando Walter Benjamin” com Rafael Duarte
15h – Feira FLINO Ecocultural com vendas de livros e artesanatos
16h30 – Espetáculo de dança “Sevirologia” com Eri Sá
17h – Vídeo-dança e exposição de Fotos “Corpo Estrada” com Victor Pessoa
17h30 – Lançamento do livro “Relações Arbitrárias” com Marah Mendes
18h30 – Lançamento da revista “Memórias do Morro” com Coletivo Anhanguera: Luta e Resistência
20h – Mesa de conversa “Territórios de Memórias”
21h30 – Exibição do documentário “Corpo de rua – no sentimento do fluxo” e bate papo com Coletivo Prelúdio

3º DIA | 4/12
10h – “Oficina de Trovas” com União Brasileira de Trovadores
11h30 – Espetáculo teatral “Rubi – vestígios de fuligem na carne e no osso” com Coletivo nos Trilhos
13h- Intervenção de dança “Sobre Salto” com Letícia Santana
13h30 – Vivência musical percussiva “Águas afrolatinoamericanas” com Bruna Ferreira
14h30- “Mães do Morro – Mulheres na Capoeira” com Código da Arte
15h30- Pocket Show “Foda-se” com Ariany Marciano
16h30- Performance poética “Além da Poesia”, com Hugo Paz
17h30 – Especial Hip Hop FLINO com Hip Hop Vem das Ruas, Coletivamente Hip Hop, Reduto do Rap e mediação de Thiago Guma
20h – Roda de conversa “Quilombos, Tekoas e Periferias”
21h30 – Batalha de MC com Batalha da 16

4º DIA | 5/12
10h – Espetáculo teatral “Babel dos Bichos” com Coletivo Bolha de Gude
11h – Exposição “Território, Jaraguá e Cidadania” com Drix Fontenelle
11h30 – Mostra multilinguagens “Deste Lado da Ponte” com Coletivo Deste Lado da Ponte
12h30 – Lançamento do livro “Bicho Poeta” com Diego Rbor
13h30 – Espetáculo teatral “Autoestrada para Damasco” com Grupo Pandora de Teatro
14h – Encontro Filosófico “Ecofilosofia no Pico” com CAEF (Coletivo Autônomo dos Estudantes de Filosofia)
15h30 – Apresentação de cultura popular com Grupo Tripé Raiz
16h- Intervenção poética com Coletivo Liter ABC
17h- Show musical “Migração” com Mil Virgulino
18h – Show musical com Senhor Florista
19h – Show musical com Irmão Amaro
20h- Roda de conversa “Juventudes, Palavras e o Amanhã”
21h30 – Encerramento: “Sarau da Noroeste” com Sarau D’Quilo, Sarau Elo da Corrente, Sarau da Brasa, Sarau Segunda Negra e convidadas Guiniver, Chai e Preta Charme

Serviço
1ª Festa Literária Noroeste
Data: de 2 a 5 de dezembro
Horário: início às 20h no dia 2, das 10h às 23h nos demais dias
Onde: canal do YouTube e Facebook da FLINO
Gratuita e virtual
Facebook: https://www.facebook.com/flinoroeste/
Instagram: https://instagram.com/flinoroeste
YouTube: https://bit.ly/youtube-flino
Contato: [email protected]