REGIONAL

Governo vai monitorar parques Villa-Lobos e Água Branca para conter avanço de barbeiros no Estado

Publicado às 10h30

Por Priscila Perez

A Superintendência de Controle de Endemias do Estado (Sucen) passará a monitorar quatro áreas verdes da capital paulista com o objetivo de conter a dispersão do inseto barbeiro, que transmite a doença de Chagas se estiver infectado pelo protozoário Trypanosoma cruzi, pela região metropolitana de São Paulo, a partir de Taboão da Serra.

Entrada do Parque Villa-Lobos. Foto: Tiago Queiroz/Estadão

A medida preventiva, que também inclui ações educativas e de orientação aos moradores do entorno, atinge os parques Villa-Lobos e Água Branca, na região noroeste, além do Ibirapuera, na zona sul, e do Povo, na zona oeste. Nesses locais, haverá busca por exemplares do inseto, da espécie Panstrongylus megistus, a fim de identificar sua rota de deslocamento pelo Estado.

De acordo com a Sucen, não há transmissão da doença de Chagas na região metropolitana de São Paulo nem na capital paulista. Mesmo assim, o órgão considera fundamental realizar o monitoramento nas áreas verdes da cidade, pois podem estar facilitando a dispersão dos insetos. Sem o devido controle, os barbeiros vão parar dentro das casas, onde fazem suas colônias.

“Examinando os locais de ocorrência de barbeiros nos últimos anos, concluímos que eles podem estar se movendo através das conexões de matas e parques, a partir da região entre as rodovias Régis Bittencourt e Raposo Tavares”, explica o biólogo Rubens Antônio da Silva, que também é coordenador técnico do Programa de Controle de Doença de Chagas da Sucen.

O Parque da Água Branca, entretanto, requer mais atenção, segundo o biólogo, pois há a possibilidade de o local ter espécies de barbeiro. “Estes bichos precisam de sangue quente de pessoas e de animais, e lá há mais de 1.3 mil galinhas que podem servir de fonte de alimentação”, completa.

Parque da Água Branca. Foto: TripAdvisor.

A recomendação para quem vive perto de parques ou matas é fechar portas e janelas durante a noite, além de vedar possíveis frestas. Com corpo marrom e manchas vermelhas, os barbeiros da espécie Panstrongylus megistus têm comportamento noturno e são atraídos pela luz. Por isso, a atenção redobrada à noite. A doença de Chagas é transmitida pelas fezes depositadas pelo inseto enquanto suga o sangue

 

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário