REGIONAL

Leopoldina se mobiliza para ajudar famílias das favelas do Nove e da Linha

Publicado em 12/02, às 11h40

Por Priscila Perez

Devido à proximidade com os rios Pinheiros e Tietê, as comunidades do Nove e da Linha, na Vila Leopoldina, não tiveram chance frente à enchente que varreu a região nesta semana. Após o temporal, os prejuízos são imensuráveis para as 270 famílias que perderam tudo. A estimativa é da associação local de moradores.

Comunidades da Leopoldina perderam tudo. Foto: Reprodução/Zanone Fraissat/Folhapress.

A água invadiu as casas arrastando eletrodomésticos, móveis e brinquedos, que foram recolhidos por um mutirão empenhado em limpar a área. Entretanto, muito pouco poderá ser reutilizado por eles: a água suja, dos rios, comprometeu boa parte de seus pertences. Não à toa, o cheiro de esgoto ainda é forte no local. Uma das moradoras que vive em um barraco na favela do Nove relata que acordou com a enchente às 5h30. “Não sei como vou fazer agora. Vou esperar a ajuda das pessoas, porque da Prefeitura eu não espero mais.”

Foto: Reprodução/Zanone Fraissat/Folhapress.

As comunidades da Linha e do Nove estão instaladas no entorno da Ceagesp, próximo ao Cebolão, e ocupam uma área de – aproximadamente – 14 mil metros quadrados. Juntas, as 1.395 famílias já enfrentaram três enchentes e sete incêndios.

Avenida Doutor Gastão Vidigal debaixo d’água. Foto: Reprodução/Werther Santana/Estadão.
Mobilização

A tragédia não passou em branco na Leopoldina. A comunidade está mobilizada em arrecadar doações para as famílias que foram afetadas pela chuva. A Igreja Palavra Viva e a Paróquia Nossa Senhora de Lourdes estão envolvidas nesta campanha, bem como o Instituto Acaia, que administra o Atelieescola Acaia – escola com 350 alunos na Vila Leopoldina. A unidade é resultado direto do trabalho desenvolvido pelo instituto junto às comunidades da Linha, do Nove e Cingapura Madeirite. Engajados em ajudar, pais, alunos e professores se voluntariaram para arrecadar comida, cobertor, colchonete e água. Muitos estudantes, inclusive, faltaram às aulas devido à enchente. Confira os pontos de coleta disponíveis:

Ponto de coleta físico – Lojas Studio Pop (roupas, calçados, cobertores e alimentos não perecíveis)
  • R Schilling 444 – Vila Leopoldina;
  • R Schilling 413 – Vila Leopoldina;
  • R Roma 601 – Lapa.
Ponto de coleta físico – Ateliê Acaia (alimentos não perecíveis, água potável, cobertores e colchonetes)
  • Rua Dr. Avelino Chaves, 80.
Ponto de coleta físico – Paróquia Nossa Sra. De Lourdes (roupas, calçados, cobertores, colchonetes, alimentos não perecíveis, água e mobília)
  • Rua Brentano, 437 – Vila Hamburguesa.

 

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário