REGIONAL

TENDA desrespeita determinação judicial e coloca tratores no terreno ao lado de aldeia do Jaraguá

Publicado em 28/5/2020 às 12h04

Por Cristina Braga

 

Nesta quarta, 27, os guaranis das aldeias do Jaraguá foram surpreendidos com um dos tratores no terreno ao lado de aldeia do Jaraguá  com intensa movimentação no terreno da construtora TENDA, alvo de discussões e protestos por parte dos indígenas.

A incorporadora pretende construir um conjunto de cinco torres de prédios residenciais para cerca de 800 moradores.No dia 30 de janeiro, a empresa iniciou o processo de derrubada de mais de 520 árvores e a comunidade guarani fez uma denúncia ao Ministério Público.A Folha Noroeste fez uma cobertura sobre a ação no local, em janeiro de 2020.

No último dia 6 de maio foi cancelada a obra no local que fica ao lado das aldeias guaranis no Jaraguá e ao lado do parque Estadual do Jaraguá (pico). No vídeo produzido pelas lideranças guaranis nesta quarta, 27, Thiago Karai Jekupe, afirma que ” qualquer ação dentro do terreno é ilegal, quando não se respeita determinação judicial. Tivemos que sair da nossa comunidade que está com mais de 50 casos de Covid-19, não podemos ter aglomerações e estamos aqui respeitando a Justiça, mas filmamos para provar esse crime”. Ainda segundo Thiago, o que a construtora está fazendo é um ‘desrespeito às leis federais’. A Policia Militar esteve no local e tentou uma conciliação entre os indígenas e a construtora. Pediu para que os guaranis não entrarem no terreno e logo após, a Tenda retirou os tratores que estavam trabalhando na área bem como caminhões e funcionários.
Assista ao vídeo abaixo, a denúncia:https://www.facebook.com/watch/live/?v=715824059165530&ref=watch_permalink

Vereador Natalini reage

Após tomar conhecimento de que a Construtora Tenda havia desrespeitado a determinação judicial de não realizar obras no terreno onde se pretende a criação do Parque Municipal do Jaraguá, o Vereador Gilberto Natalini expediu ofício à Juíza 14ª. Vara Cível da Justiça Federal em São Paulo.O Ordem Judicial determina que não devem ser realizados quaisquer manejos e nesta quarta,27, foram flagradas no local máquinas como tratores e retroescavadeiras. Natalini requereu à juíza que os fatos fossem apurados e que a decisão seja cumprida, inclusive com a imposição de multa caso haja novo descumprimento.