REGIONAL

Venda da Ceagesp mobiliza permissionários na Leopoldina

Publicado em 25/9/2020 às 9h22

Por Eduardo Fiora (Agência Território Noroeste)

Em estudo no BNDES, a privatização da Ceagesp já não é mais assunto restrito aos gabinetes da equipe econômica do governo Bolsonaro. Idalício de Jesus Silva, diretor da Secretaria de Desestatização do Ministério da Economia, foi escalado para uma missão específica em São Paulo: conversar sobre a venda da empresa com representantes dos permissionários e carregadores do entreposto da empresa na Vila Leopoldina. “Ele informou que os estudos para a privatização continuam e que em 2021 a Ceagesp será vendida”, afirma Edison Rijo, presidente do Sindicato do Comércio Atacadista de Hortifrutigranjeiros e Pescados em Centrais de Abastecimento de Alimentos no Estado de São Paulo (Sincomat).

Em cinco anos

Sem entrar em detalhes sobre o processo de desestatização, Idalício deu um claro sinal de que, de fato, o processo avança no BNDES. A partir de agora todo e qualquer novo contrato assinado entre permissionário e Ceagesp terá de ser renovado anualmente, dentro do prazo de até cinco anos. Nesse aviso aos permissionários, o governo acaba sinalizando uma data futura para a saída da Ceagesp da Leopoldina. “Cinco anos é o tempo máximo estimado para a construção de um novo entreposto privado na Região Metropolitana de São Paulo”, afirma Paulo Murad, representante do Sindicato.

Esse modelo contratual, segundo Idalício Silva , não afeta a relação dos antigos permissionários (quase 4 mil) com a Ceagesp. No entanto, tal mudança traz insegurança para quem já opera no entreposto da Avenida Gastão Vidigal há décadas, pois, juridicamente, existe embasamento para que a Ceagesp imponha, unilateralmente, o modelo de renovação anual de contrato para todos os permissionário, sem exceção alguma. Com um cenário apontando para a venda da Ceagesp e o fim das atividades da empresa na Leopoldina, os comerciantes do maior entreposto de alimentos da América Latina partem para uma grande mobilização e já marcam, no início da próxima semana, reunião para tratar desses assuntos.