NOTÍCIAS EM DESTAQUE SAÚDE

Aluna de escola pública no Jaraguá inventa monitor cardíaco para sonâmbulos

Estudante tentará curso de Medicina no fim deste ano

Publicado às 13h50

Por Cristina Braga

Com apenas 17 anos e ainda cursando o ensino médio na escola pública EE Alexandre Von Humboldt, na Vila do Anastácio, zona oeste, Nathália Souza de Oliveira, sempre foi apaixonada por ciências e medicina. Filha de uma professora de educação infantil e de um motorista autônomo, é moradora do bairro do Jaraguá e desenvolveu monitor cardíaco para pessoas com sonambulismo com a ajuda de professores da escola.

Ciência e engenharia

Para criar o protótipo, Nathália  realizou pesquisas e descobriu que a frequência cardíaca de um sonâmbulo durante o episódio é semelhante à de uma pessoa que está acordada fazendo atividades. O monitor criado por Nathália usa um pequeno sensor de batimentos cardíacos ligado a uma placa de Arduíno (placa eletrônica usada para programar comandos) e a uma placa de bluetooth, que envia sinais para um aplicativo no computador ou smartphone.”O sonâmbulo deve usar o sensor como uma pulseira ou relógio. Ele capta seus batimentos cardíacos, que aparecem no computador ou no smartphone como um eletrocardiograma”, explica a estudante.

Aliando ciência e engenharia, o protótipo inicial do monitor criado pela estudante custou cerca de R$ 150. Mas o objetivo é que a produção custe cerca de R$ 50 e de que seja acessível ao público. Convém ressaltar que a ex- aluna ganhou  prêmio para mulheres na engenharia durante a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), da Escola Politécnica da USP, um dos maiores eventos brasileiros do gênero. Nathália deverá prestar medicina no final do ano. Confira a entrevista realizada pela Folha Noroeste.