SAÚDE

Botulismo: conheça as causas e os tratamentos dessa doença infecciosa

Publicado em 29/01, às 8h45

Embora o botulismo seja uma doença rara, essa infecção bacteriana pode acometer pessoas de qualquer idade – seja pela ingestão de alimentos enlatados ou contaminação de lesões de pele. Para entender melhor como funciona a doença, preparamos um material sobre suas causas, tratamentos e maneiras de prevenir o botulismo. Pronta para saber mais sobre o assunto? Continue sua leitura até o final!

Foto: Reprodução/concepto.de.
Você sabe o que é botulismo?

Considerada uma doença infecciosa causada pela bactéria Clostridium botulinum, o botulismo é uma doença bastante rara, mas que pode ser seríssima para a saúde. O principal problema é que a toxina gerada por tal bactéria é capaz de envenenar o organismo humano de maneira grave – mesmo que seja ingerida em poucas quantidades. Desde a infecção bacteriana, o período de incubação pode levar até oito dias para ocorrer – e tudo irá depender da quantidade de toxina ingerida. Mesmo assim, é crucial buscar um médico de imediato ao notar a presença de sinais indicadores de botulismo. Pois quando o tratamento não é feito corretamente, o paciente pode sofrer séria paralisia (principalmente de sua musculatura respiratória).

Sinais da doença

De maneira geral, a doença pode ser dividida em três tipos:

  • Botulismo alimentar;
  • Botulismo infantil;
  • Botulismo de feridas.

Os sinais também vão variar conforme as causas e tipos de doença. O botulismo alimentar mostra como principais complicações: problemas para engolir e respirar, boca seca, fraqueza na face, pálpebra caída, visão estranha, náuseas, vômitos e paralisias.

No botulismo infantil, a criança pode demonstrar: choro fraco, irritabilidade, baba em excesso, pálpebras caídas, paralisia, dificuldades para se alimentar, movimentos flexíveis e constipação. Nesse caso, as contaminações ocorrem via alimentação, assim como o botulismo alimentar. Já no caso de botulismo de feridas, os sinais não afetam tanto o sistema gastrointestinal, mas podem gerar: paralisia, visão turva, problemas para falar ou engolir, fraqueza na face e pálpebras caídas.

Como ocorre a contaminação?

Capaz de entrar no corpo através de feridas abertas ou pela a ingestão de alimentos contaminados, as bactérias que causam o botulismo produzem toxina botulínica. Essa substância é gerada quando tais organismos são expostos a condições de temperatura específicas e níveis reduzidos de oxigênio.

A maioria dos alimentos contaminados são os enlatados ou aqueles que estão em conserva. Daí vem a importância de analisar bem a embalagem e mantê-los bem preservados para evitar problemas. Após a contaminação, podem surgir complicações como:

  • Problemas para falar e engolir;
  • Muita fraqueza e fadiga;
  • Pneumonia por aspiração;
  • Infecções;
  • E problemas de controle motor e sistema nervoso.
Quais são as causas do botulismo?

Como conversamos, as causas variam muito conforme o tipo de doença.

  • Botulismo alimentar: a maioria dos casos envolve a ingestão de enlatados ou alimentos em conserva previamente contaminados – incluindo conservas caseiras como mel e peixe defumado.
  • Botulismo infantil: grande parte das crianças afetadas são contaminadas via alimentação, sendo o tipo mais comum da doença.
  • Botulismo de feridas: nesse tipo de botulismo, a contaminação ocorre por meio de ferimentos e lesões presentes na pele.
Como funciona o tratamento de botulismo?

A efetividade do tratamento para botulismo será melhor quanto mais precoce for feito o diagnóstico. O tratamento é realizado em uma unidade de tratamento intensiva (UTI), diminuindo as taxas de mortalidade. O médico inicia com um suporte para manter as condições de saúde estáveis até que os exames diagnósticos sejam processados.  Depois, ele segue para um tratamento específico para com soro antibotulínico e antibióticos. O processo de recuperação costuma ser lento e envolve o mecanismo imunológico pessoal de cada um – com relação à resposta da infecção. Mas, de maneira geral, o acompanhamento médico precoce diminui drasticamente as chances de morte.

Maneiras de prevenir o botulismo
Alimentos em conserva. Foto: Reprodução.

Embora o botulismo seja uma doença grave, é bom saber que existem maneiras de preveni-la! Para te ajudar nessa trajetória de prevenção, trouxemos algumas dicas poderosas:

  • Olhe bem para a embalagem de alimentos em conserva e enlatados antes do seu consumo e caso perceba sinais estranhos, desconfie;
  • Ferva conservas caseiras por pelo menos 15 minutos antes de seu consumo;
  • Evite conservar alimentos em altas temperaturas – principalmente acima dos 15 graus;
  • Se for preparar conservas em casa, cuide ao máximo com a higiene e sempre cozinhe antes de comer;
  • Mantenha as mãos sempre limpas;
  • Evite dar mel para crianças pequenas, pois esse alimento é um dos mais perigosos quando malconservado.
A toxina do botulismo é a mesma do botox?
Aplicação de botox. Foto: Reprodução.

Como o procedimento estético de botox ficou ainda mais conhecido nas últimas décadas, é normal que surjam dúvidas se a toxina botulínica utilizada no botox é da mesma bactéria que causa botulismo. Sim! A toxina botulínica usada nos procedimentos estéticos é a mesma produzida por Clostridium botulinum. A grande diferença é que é utilizada por injeção em quantidades mínimas, paralisando apenas o músculo local. Assim, é possível obter o bloqueio da musculatura em rugas e linhas de expressão – sendo bastante segura para a saúde humana.   Como a toxina é absorvida pelo corpo de maneira gradual, o efeito do procedimento pode durar por até 6 meses, requerendo novas aplicações para manter a estética em dia.

Outros aspectos importantes

O botulismo é uma doença bacteriana rara, mas que costuma surgir quando ocorrem infecções por alimentos ou feridas abertas. No caso da alimentação, deve-se ter cuidado especial com o consumo de enlatados e conservas – sobretudo o mel.

Já no caso de feridas, todo cuidado com lesões de pele deve ser levado em consideração.  Apesar do tratamento para a condição ser demorado e depender da precocidade do diagnóstico e da resposta imunológica pessoal de cada paciente, existem maneiras de prevenir o problema.

Como principais formas de prevenção, podemos contar com: cuidados ao preparar e consumir alimentos enlatados e em conserva, manter as mãos sempre limpas, cuidar com feridas e evitar dar mel para crianças. Caso sinta qualquer tipo de sintoma relacionado com o botulismo, procure um serviço de emergência médica de imediato. Gostou do conteúdo de hoje sobre as causas e tratamentos para o botulismo? Comente logo abaixo e tire as suas dúvidas.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário