SAÚDE

Vacina contra a raiva está disponível em postos de controle de zoonoses

Publicado às 8h30

Por Cristina Braga

A Prefeitura de São Paulo, sob a gestão Bruno Covas (PSDB), não irá realizar a campanha de vacinação contra a raiva animal neste ano. Por isso, os donos de cães e gatos devem levá-los a um dos postos permanentes da Divisão de Vigilância de Zoonoses (DVZ) para receberem a vacina.

Antes, a campanha era realizada no mês de agosto com postos volantes espalhados em vários locais da cidade. Sem esta ação, os donos de animais terão de se mobilizar para levar seus pets para tomarem a vacina antirrábica. A raiva é uma doença transmitida por contato direto, ou seja, por meio de mordidas, arranhões ou lambida de cães, gatos ou outros mamíferos. Além disso, o vírus também pode ser transmitido para humanos.

Foto: Reprodução

A Prefeitura de São Paulo afirma que a campanha não irá acontecer porque as vacinas contra a raiva animal não serão oferecidas pelo Ministério da Saúde. A pasta, por sua vez, alega que foram identificados problemas técnicos na produção da vacina e, por isso, aguarda a entrega do laboratório fornecedor. Ainda segundo o Ministério da Saúde, as doses serão enviadas aos estados (e depois aos municípios) assim que a produção for normalizada.

Na região noroeste, há postos volantes na Freguesia do Ó, na Rua Chico de Paula, 238, que funciona de segunda a sexta, das 9h às 14h30; em Santana, na Rua Santa Eulália, 86, com funcionamento de segunda a sábado, das 8h às 17h; e em Pinheiros, na Rua Sumidouro, 712, cuja unidade fica aberta de segunda a sexta-feira, sempre das 9h às 16h.