TURISMO

Tesouro escondido: Torrinha surpreende com natureza bucólica, esportes radicais e gastronomia

Publicado em 13/03, às 8h40

Com informações do Governo de SP

Noivos, pré-weddings, solteiros, famílias, fotógrafos, aventureiros e esportistas: todos, em algum dado momento, irão se encontrar em Torrinha. A cidade tem pouco mais de 10 mil habitantes, está a 239km de São Paulo e a 802 metros de altitude, com acesso pelas rodovias SP-197 (a partir de Brotas) e SP-304 (desde Jaú). Seu território exibe uma gama variada de cenários para todo tipo de atividade, principalmente para os que desejam fugir ao agito das cidades e espairecer todos os sentidos em meio à Natureza.

Pedra de Torrinha. Foto: Reprodução/Marcel Leite.

A “Pérola da Serra”, como é conhecida Torrinha, é um MIT (município de interesse turístico), uma das 13 cidades do Circuito Serra do Itaqueri, que é uma região central do interior paulista em que estão, entre outras, Piracicaba, Águas de São Pedro e Itirapina. Todas essas cidades possuem paisagem serrana e repleta de água em todas as direções. São rios, cachoeiras, ribeirões, caminhos na mata e morros a perder de vista em que os praticantes de pesca esportiva, passeios náuticos, caminhadarapelcascading, tirolesa, canyoningcampingmountain bikemotocrossrafting e floating, todos são contemplados.

Cidade reúne belas cachoeiras. Foto: Divulgação.
Formação rochosa em Torrinha. Foto: Divulgação.

A cidade ganhou esse nome por causa de uma formação rochosa de cerca de 50 m de altura sobre uma elevação localizada quase na divisa com Brotas. Esse ponto de referência é avistado a uma enorme distância e fica a sudeste, para quem sai do centro urbano torrinhense. Seu território era passagem e pousada para tropeiros e viajantes no século XVII, até que em 1890 a Companhia Paulista de Estradas de Ferro construísse a Estação Santa Maria, que colocou Torrinha na malha ferroviária do estado.

Em termos de gastronomia, Torrinha não fica atrás. A cidade é reconhecida por produzir um dos melhores grãos de café do estado de São Paulo. E o que não falta ao município é tradição. As festas de Santos Reis, em janeiro e os bonecões carnavalescos de fevereiro são atrativos aos visitantes, bem como a produção de artesanato de costura, bordado e crochê. Por tudo isso e um pouco mais, vale a visita. Torrinha surpreende, para muito além das cachoeiras.

Clima bucólico é destaque. Foto: Divulgação.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário