TURISMO

Catar: Quanto custa? O que fazer?

Publicado às 13h05, por Miriã Arruda

Flamengo na final do Mundial, Copa do Mundo e o Catar entra em campo no cenário turístico. Desde o anúncio da Federação Internacional de Futebol (FIFA) que o país sediaria o campeonato de 2022, algumas questões sobre temperatura, cultura, moeda, entre outras, foram levantadas.

Em 2018, tive duas conexões em Doha, pela Qatar Airways, de 18h cada.

Aproveitei para pesquisar o que fazer na cidade e encontrei um city tour em português de meio período para 5 pessoas que saía em torno de US$ 200 com paradas em Corniche, Museu de Arte Islâmica por fora, Katara, complexo do Souq Waqif, palácio do Governo, Ganar, guia, transporte e água.

Para o dia inteiro, US$ 300. Incluía também a visitação interna do museu e The Pearl. Se sobrasse um tempinho, ainda tinha Grand Mosque.

Fora do meu orçamento, já sabia que teria que me virar de outra forma. O que eu fiz? Anota aí!

Aeroporto

O Aeroporto Internacional de Hamad foi a minha casa nesses dias. Tomei banho de gato, dormi nas poltronas de TV, usei os computadores, tomei café, turistei pela cidade, voltei, almocei, tirei uma soneca nas salinhas especiais só para mulheres e peguei outro voo para meu destino.

Um dos mais modernos do mundo, são oferecidos alguns serviços gratuitos para os passageiros. Hotéis (dependendo da sua companhia aérea e categoria), internet Wi-Fi, computadores iMac (Apple), área de TV, salas reservadas para descanso e separadas por sexo (com poltronas reclináveis, mas não achei tomadas), espaço para oração, um tipo de aero trem, praça de alimentação, Duty Free e muitos mais.

Acabei tomando café da manhã (suco de laranja e pão por R$ 56) e almoçando (combo do Whooper no Burger King por R$ 40) nos restaurantes de lá.

Visto 

O Governo do Catar incentiva o turismo no país e quer aumentar o número de visitantes. Por isso, o visto é na chegada, gratuito e válido por 30 dias. Passar pela imigração foi superfácil, o medinho vem mesmo é na hora da revista com os cães.

Moeda

A moeda do Catar é o riyal saudita.
1 riyal é igual a 1,09 real brasileiro (cotação dez/2019).

Temperatura

Faz muito calor em Doha. A sensação térmica é de “não consigo respirar”. Sério. O céu é cinzento a todo momento, mas não como São Paulo, é arenoso. O sol desaparece antes mesmo dele se pôr. Você vai pedir água, sorvete, água de novo.

 Passeios

Dentro do aeroporto tem um guichê que oferece city tour a 40 riyal com várias saídas. É necessário ter no mínimo 4 horas entre um voo e outro.

Nesse valor, você tem transfer do aeroporto de ida e volta, guia em inglês e água (temperatura ambiente = quente) à vontade. Passamos por lugares como Coniche, Katara Cultural Village, Souq Waqif, a ilha artificial The Pearl e Blue Mosque. No ônibus, a guia alerta que é proibido tirar foto de pessoas e casas. E da admiração ao rei, que tem seu rosto estampado por toda parte, e do apoio que o governo dá aos estudos e moradores.

Na minha conexão da volta não fechei nenhum passeio. Saí do aeroporto direto para o hotel. Pegue um táxi oficial, ele custa a metade do preço de outros que tentarão te oferecer a corrida (R$ 70 por uma distância curta). Nenhum veículo de aplicativo é aceito dentro do aeroporto. Nem tente.

Sair sozinha na rua é assustador. Pelo menos foi para nós. No primeiro passo fora do hotel, vários homens olharam para nós. Não vimos nenhuma mulher. Perguntamos à recepcionista se podíamos andar sozinhas e ela disse que ninguém tocaria na gente. E quase. Os homens chegam bem perto, te olham de cima a baixo, encaram, seguem, dão risadinhas, fazem comentários com os outros. É bem desesperador. Constrangedor. Machista.

E nenhuma mulher na rua ainda. Quando tinha, estava acompanhada do marido e das outras esposas.

Entramos no Museu de Arte Islâmica (entrada gratuita) e é lindo. Por dentro e por fora. Puro luxo. Assim como as passagens subterrâneas da cidade que possuem elevadores e mármore.

Hospedagem

Escolhi um hotel com custo benefício bom para meu bolso. Duas camas, banheiro e só. Não precisava de muito mais do que isso para uma noite. Cheguei à tarde, entrei no quarto que fedia a cigarro, sem ventilação e com cinzas misturadas ao pó do criado mudo. De resto, até que era ok.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário