REGIONAL

Bebedouros de 1929 do Parque da Água Branca são substituídos e frequentadores reclamam

Quem passa pelo local reclama de perder parte da história de 90 anos do local

Publicado às 9h50

G1 São Paulo

Os bebedouros de 1929 do Parque da Água Branca, na Zona Oeste, estão sendo substituídos por novos. Os frequentadores perceberam as alterações e muitos não gostaram. A reclamação é tirar um pedaço da história de 90 anos do paque.

Para quem frequenta o local, o ideal seria que os bebedouros fossem preservados, recuperados e mantidos. Mas não é o que tem acontecido. Um dos bebedouros está interditado devido ao mau estado de conservação. Um dos bebedouros com escultura de leão já foi arrancado, segundo os frequentadores, e deu lugar a um bloco de concreto com um cano no meio.

O Parque da Água Branca tem muitos prédios e construções antigas. No fim da década de 20, o parque era um Centro de Exposição de animais frequentado pela alta sociedade. O parque mantém todas as suas características originais, com hípica, inclusive vários animais andam pelo local.

A Secretaria do Estado do Meio Ambiente disse que o parque passa por obras de acessbilidade para que todos possam visitá-lo e que os bebedouros com problemas irreversíveis estão sendo trocados. Também foi indormado que os bebedouros não são tombados pelo patrimônio histórico.

O conselho de Defesa do Patrimônio Histórico do Estado (Condephaat) confirmaque o projeto de acessibilidade foi aprovado em reunião em novembro de 2017, mas que vai apurar se houve alguma irregularidade na execução da obra.

Folha Noroeste

Somos o maior prestador da região Noroeste, com mais de 100 mil exemplares impressos a Folha do Noroeste tem se destacado pelo seu comprometimento com a Noticia e tem ajudado a milhares de pessoas a divulgar os problemas do cotidiano de nosso bairro.

Adicione Comentário

Clique aqui para postar um comentário